da estaca zero, renascer com árvores

Projecto para a reconstrução do "Ground Zero" - Nova Yorque

Na reconstrução do espaço anteriormente ocupado pelo World Trade Center (baptizado de Ground Zero), protagonismo de árvores e jardins.

Para além duma nova torre (torre da liberdade) o projecto prevê a construção dum "memorial" que, entre outras coisas, inclui dois grandes tanques no local das antigas torres gémeas. Um projecto que teve um processo de crescimento algo atribulado, com a versão inicial de Libeskind, aprovada em 2003, a ser bastante alterada, principalmente por causa de "preocupações de segurança, aspectos financeiros e opiniões dos familiares das vítimas" .

Master Plan de Daniel Libeskind para o Ground Zero

Em resultado da associação de Daniel com David Childs, também não isenta de polémica, resultou uma nova versão da torre principal, que abandonou um dos aspectos que tornavam particularmente interessante o projecto inicial: a construção de jardins no seu topo.

Michel Arad, o autor do projecto vencedor do concurso para a "Praça da Memória" (em baixo à esqª) que também provocou alguma polémica, contou com a colaboração de Peter Walker, um dos mais famosos paisagistas mundiais, para fazer a versão final que propõe a arborização da envolvente dos tanques.

Mais uma prova do cada vez maior reconhecimento da vegetação (nomeadamente as árvores) como elemento importante para criar bons espaços públicos (e resolver polémicas).

Não se fará o "Paraíso no Céu" mas pelo menos não se deixará de fazer um "Paraíso na Terra"... visto assim, até parece bem.

No site do projecto rebirth muita informação e acompanhamento da construção ao minuto (e mais informação aqui também )

Sem ser desculpa para as nossas imperfeições, este caso como o do Parque Millenium, em Chicago, mostram que não é só cá que os grandes projectos dão polémica e ultrapassam previsões iniciais de prazos e custos.

(imagens tiradas do site do projecto rebirth e do wtc site memorial)

2 comentários:

Ana Ramon disse...

Olá amigo! Cá estamos de novo de costas direitas e activos. Estive a ler as tuas últimas postagens e agora sinto-me mais rica perante tanta informação interessante. A ver se descubro ideias para pôr em prática no ajardinamento de uma área enorme que pretendemos que seja barato, fácil de cuidar e sem chocar com a paisagem envolvente. É um projecto com 2 anos que não há meio de sair do papel com tanta polémica familiar... aqui também... :))))
Obrigada pela companhia. Beijinhos

Jardinando disse...

Viva Ana! Bem vinda. Como filosofia de intervenção tenho uma atracção especial pelo Gilles Clément que defende que o jardineiro deve aprender a observar a natureza, particularmente a vegetação, e aproveitar ao máximo a sua tendência de evolução em vez de gastar demasiado tempo, dinheiro e energia a contrariá-la. Quanto à polémica, é sempre bom haver um pouco de discussão sem que isso impeça a acção. O tempo é um dos principais recursos com que se fazem jardins...
Té logo. Beijos e bons projectos.